quinta-feira, dezembro 30, 2010

"Queimadinha de Natal" e "Feliz Ano Novo"

Depois de 4 dias, finalmente eu posso digitar com as duas mãos novamente. No dia 25, sofri um pequeno acidente doméstico enquanto preparava nosso almoço de Natal: peguei no cabo de uma panela que tinha acabado de sair do forno em temperatura de 475ºF. Delícia. Nelson teve que terminar de preparar o almoço, cuidar das últimas arrumações pra chegada dos meus pais no dia seguinte e, riam, confeitar uns biscoitos de Natal que eu tinha assado no dia anterior, porque no resto do dia (e da noite...) eu só fiz chorar de dor. Consegui a proeza de queimar exatamente TODOS os 5 dedos e a palma da mão direita inteira, ou seja, não dava fazer mais nada que precisasse de duas mãos... A parte engraçada é que o cabo das minhas panelas tem um furinho em forma de bolinha que ficou perfeitamente impresso na palma da minha mão. Uma gracinha! Rs. Ontem, finalmente, consegui voltar a usar a mão e estou quase de volta às atividades normais. Bom, mas nada disso me impediu de sair pra bater perna loucamente com meus pais desde a chegada deles! Amanhã cedinho pegamos a estrada rumo a Savannah, onde passaremos a virada do ano e o resto do fim de semana. Por isso, deixo logo aqui meus desejos de um Feliz Ano Novo e que 2011 seja um ano de muitas realizações e paz pra todos nós.

sexta-feira, dezembro 24, 2010

Já passou o Natal?


Enquanto todo mundo espera pelo dia 25, eu quero mais é que chegue logo dia 26 e com ele o melhor presente de Natal desse ano: meus pais! Estou aqui nos preparativos finais, tentando me ocupar pra ver se o tempo passa mais rápido e a hora de abraçá-los no aeroporto chega logo. Um Natal muito feliz pra todos nós!

segunda-feira, dezembro 20, 2010

quinta-feira, dezembro 16, 2010

Facebook é uma coisa estranha

Uma pessoa que você não vê e não tem notícias há séculos te adiciona como amigo. Você aceita o convite, afinal já foram amigos próximos, e deixa um recado pra tal pessoa com todo aquela blá blá blá - pergunta o que tem feito, como é que vai a família, se ainda mora em tal lugar, se tem visto sicrano, se casou com fulano etc. A pessoa nunca te responde.

Uma pessoa de quem você nunca foi amiga te adiciona como amigo. Você pensa uns dias antes de aceitar o convite dessa pessoa, mas acaba aceitando por "convenção social". Essa pessoa nunca deixou um "oi, tudo bem, como vai" pra você.

Uma pessoa que é, sempre foi e provavelmente sempre será sua amiga te adiciona como amigo. Você aceita na mesma hora. Nos primeiros dias vocês trocam mensagens com aquele blá blá blá todo. Nunca mais essa pessoa te deixa nenhum recado ou responde os recados que você deixa pra ela. De vez em quando essa pessoa "aparece" pra dizer "nossa, tá sumido, hein?".

Uma pessoa que você detesta te adiciona como amigo. Aquela disgrama de "convenção social" te faz aceitar o convite daquela pessoa. Essa pessoa nunca interage com você. E ainda te irrita com posts diários das coisas mais idiotas desse planeta.

Uma pessoa que você supostamente conhece te adiciona como amigo. Você fica confuso, mas como vocês tem vários amigos em comum, você aceita o convite dessa pessoa. Você nunca descobre de quem se trata.

O irmão da cunhada do vizinho da namorada do seu primo de 3º grau te adiciona como amigo. Ahn?

Facebook é uma coisa estranha. Você tem uma lista de 200 e tantos amigos e interage, no máximo, com quantos? 10?

quarta-feira, dezembro 15, 2010

Going Home

Tô aqui no aeroporto esperando o vôo pra casa que só sai em 2 horas e meia. Aqui em D.C. tá um frio de lascar, mas meu consolo é que, acredite se quiser, em Atlanta estava pior ainda. Pelo menos a previsão é que amanhã as temperaturas estarão novamente positivas e, ufa, vai dar pra ter um descanso dessa friaca que já dura algumas semanas.

Hoje a Cláudia (do "Penso, logo mudo de idéia" e do "Aprendiz de Viajante" - não consegui colocar o link pros blogs dela aqui do iPad...) mesmo sem voz, coitada, foi me buscar no hotel e me levou em um monte de lugares super legais que ainda não tinha dado tempo de ir. Foi ótimo, apesar do frio tenebroso que estava congelando nossas mãos, rostos e orelhas. Na hora de ir embora tiramos a foto abaixo do celular. Favor desconsiderar nosso descabelamento e nossas caras vermelhas de frio!

sexta-feira, dezembro 10, 2010

Washington, D.C.

Tô aqui na capital, onde fico pelos próximos dias. Hoje o dia tava super cinza, chegou até a nevar, mas não estava congelante. Ufa, deu pra "dar um rolê" por aí sem morrer de frio. A cidade parece estar super vazia, beeeeem diferente da primeira vez em que estive aqui, no verão de 2007. Olha a foto aí em cima: só tinha eu e uns 4 ou 5 japas na frente do Capitólio!

segunda-feira, dezembro 06, 2010

O problema da pizza

Acredito que a maioria das pessoas que gostam de pizza e vem morar nos EUA encontra o "problema da pizza". Sabe aquela pizza de domingo à noite? Pois é, é difícil encontrá-la por aqui do jeito que a gente está acostumado no Brasil.

A pizza americana é, via de regra, uma meleca de queijo com muito molho de tomate e umas rodelas de pepperoni por cima. Ou uma mistura de absolutamente todas as carnes que existem nesse mundo (sim, pepperoni, pedaços de bife, bacon, linguiça etc. tudo junto e misturado). Em Ridgewood, New Jersey, não demorou pra acharmos uma bem boazinha e perto de casa, a Brooklyn's Brick Oven Pizzeria. Mas a minha favorita mesmo lá naquelas bandas era uma das milhares que reclamam o título de "the best pizza of NYC", a John's Pizzeria. Se não me engano, a John's tem 3 ou 4 localizações, mas sempre íamos ou na da 44th St ou na da Bleecker St.

Mas isso tudo pra dizer que, depois de 4/5 meses aqui em Atlanta, finalmente achamos uma pizza decente! Ontem à noite tava um frio do cão, eu nem queria sair de casa, mas queria comer pizza e não queria nenhuma das que já tínhamos experimentado (todas beeeem fraquinhas). Daí Nelson achou indicaçõa na internet da Varasano's Pizzeria que entrou rapidinho pra minha lista de delícias!

Depois que nos sentamos e eu vi a plaquinha da foto abaixo em cada uma das mesas, eu só pensava que minha mãe com certeza iria resmungar porque por lá é "proibido" comer a pizza com talheres. Lógico que não é proibido de verdade, eles só dão a dica de comer com a mão. Eu, sinceramente, só como pizza com a mão há tempos e posso dizer que realmente fica mais gostoso! ;) Então é isso, esse post era mesmo só pra comemorar que o nosso "problema da pizza" aqui em Atlanta foi mais do que resolvido! Hooray!

quinta-feira, dezembro 02, 2010

É (quase) Natal

Mais uma vez, vou ter que ficar na vontade de comprar e decorar a árvore de Natal por mais uns dias. No ano passado, prometi pra minha irmã esperar por ela pra comprar a árvore. Esse ano, vamos passar uns dias fora e não quero deixar a árvore aqui sozinha porque, além de ter a possibilidade dela começar a morrer por não ter ninguém pra colocar água, pelo que li por aí também há perigo de fogo (lógico que não vai acontecer combustão espontânea e eu desligaria as luzinhas, mas pra que arriscar, né). Então árvore aqui em casa esse, só depois do dia 16 de dezembro. Daí, pra aplacar a vontade de decoração de Natal, fiz como no ano passado e decorei a lareira logo de uma vez e esse ano ficou assim:


Na foto a extensão tá toda doida, agora já ajeitei, mas fiquei com preguiça de tirar outra foto. Aqui nesse apartamento a lareira é um pouco diferente da lareira da casa em que morávamos em New Jersey, e Nelson teve a (nada) brilhante idéia de colocar a tv em cima da lareira (na verdade, não tínhamos muito opção por causa do layout da sala, do ponto da tv a cabo e blablabla), então nada de velinhas como ano passado. Confesso que gostei mais da decoração da outra lareira, mas fazer o que, né.